Curso Assessoria e Cerimonial de Eventos - mais informações ligia.pontes@terra.com.br

terça-feira, 16 de março de 2010

Casar na Igreja não é para quem quer, mas para quem pode

Hoje saiu uma reportagem na Folha de São Paulo sobre o pagamento das taxas nas Igrejas de São Paulo.
Eu sempre digo que o sonho de se casar na Igreja não é para todos, principalmente se os noivos tem o sonho de se casar nas Igrejas mais bonitas e mais badaladas de São Paulo.
Mas fica a questão a Igreja não deveria se acessivel a todos?

A reportagem diz...
" Igreja cobra mais caro por casamento e impõe serviço

Noivo paga até R$ 6.000 pela cerimônia e tem de contratar serviços que igreja indicar
Arquidiocese estabelece que taxa pelo casamento não seja superior à do civil; igrejas dizem seguir norma, mas têm despesas extras .

RICARDO GALLO
DA REPORTAGEM LOCAL

Gisele (nome fictício), 29, pagou R$ 2.000 para se casar em uma das mais tradicionais igrejas de São Paulo, a Nossa Senhora do Brasil, na avenida Brasil (zona oeste). Ela nem se importou com o preço -muito acima do estabelecido pela própria Igreja Católica-, mas se surpreendeu ao ser informada de que só poderia contratar os serviços de foto e vídeo, entre outros, que a igreja indicasse.


"Tem que ser tudo do livrinho [a lista da igreja]. É um absurdo. Estava quase desistindo de me casar lá, mas a família do meu noivo queria muito", disse.


Pelas normas da Arquidiocese de São Paulo, a taxa de casamento religioso não pode ser maior que a do civil -R$ 246. O preço sobe para R$ 821, se o juiz for até o local da cerimônia. Já a imposição ou restrição de serviços ao consumidor é considerada prática abusiva pelo Procon o fato de uma igreja impor ou restringir serviços como condição da realização de um casamento no local.


As duas situações são corriqueiras nas principais igrejas de São Paulo. A reportagem encontrou ao menos sete igrejas que cobram entre R$ 1.000 e R$ 6.000 pelo casamento. E, em quatro, há lista de fornecedores ou serviços embutidos que os candidatos a noivos são obrigados a contratar.


As igrejas, em geral, dizem que o custo de casamento não supera o que a arquidiocese preconiza. Elas usam um expediente previsto pela arquidiocese que lhes permite incluir no custo do casamento despesas não relacionadas ao rito, como gastos com luz, limpeza e estacionamento. E dizem reverter o que ganham para manutenção e obras sociais.


Na Nossa Senhora do Brasil, onde se casou o piloto Felipe Massa, por exemplo, o preço de R$ 2.000 só vale para 2010. No ano que vem, serão R$ 2.200. São cerca de 30 casamentos por mês, em média.


O guia com os fornecedores credenciados tem, entre outros, serviços de floricultura, foto e vídeo. Para estar no guia, cada prestador de serviço paga R$ 2.000 anuais, mais R$ 200 por casamento em que atuar. Embora a igreja admita que é obrigatório, o pagamento é chamado de "contribuição".


Outras igrejas disputadas fazem o mesmo. A Perpétuo Socorro (Jardim Paulistano) e a Cruz Torta (Alto de Pinheiros) também mantêm "livrinhos" que obrigam o casal a contratar determinados serviços. Em seu site, a Cruz Torta informa que empresas não credenciadas podem prestar serviço de foto, filmagem e decoração, se os noivos quiserem -desde que paguem R$ 1.300 cada uma.


Com o preço mais alto entre os templos consultados (R$ 6.000), o mosteiro de São Bento disse que o valor inclui outros serviços, como o profissional responsável pelo órgão e assessoria cerimonial. O mosteiro permite contratação de prestadores de serviço de fora.


Nas igrejas consultadas, marcar a data do casamento pode exigir certa paciência dos noivos. Na Nossa Senhora do Brasil, por exemplo, a espera pode superar um ano, a depender do dia e do horário."

As igrejas cobram taxas de até R$6.000 por casamento e a arquidiocese determina que não pode cobrar valor superior ao do casamento civil, mas permite a inclusão de despesas como energia e limpeza ( cara essas despesas , não)

Sobre os fornecedores as igrejas exigem que os noivos contratem os serviços de fornecedores indicados por elas, o que arquidiocese determina é que a igreja sugira fornecedores sem obrigar os noivos a contratar serviços de determinda empresa.

O que o procon diz? Que a igreja não pode exigir dos noivos a contratação de determindo serviço e que o consumidor que se sentir lesado deve procurar o procon  tel 151 ou a Arquidiocese no tel 11 3826 0133

Minha opinião acho que os noivos deviam procurar os seus direitos e quem sabe essa pratica abusiva acabaria. As igrejas cobram dos noivos e dos fornecedores ganhando duplamente. E no dia o que a maioria dos noivos não sabem é que a maioria das Igrejas querem acelerar o casamento para que não haja atrasos e que eles terminem o dia o qto antes. Já tive situações de que a noiva anterior atrasou e o padre queria cortar o cortejo da minha cliente, mas não conseguiu pois não iria deixar que isso acontecesse sendo que não era culpa do nosso cliente.

Vale a pena pensar nisso, será que não estamos sendo lesados?
A Igreja deveria ser para todos
Bjs
Ligia

Um comentário:

Finalmente Noiva! disse...

Olá! amei a reportagem, seu blog é o máximo!! eu pretendo me casar na igreja São carlos Borromeu no belenzinho, tbm é uma igreja super disputada e eles cobram R$1.990 (está inbluso taxa da igreja, decoração, 4 músicas no orgão e taxa de efeito civil) como inclui decoração não achei tão cara (a decoração é maravilhosa), mas eles fazem a proibida "venda casada" vc só pode contratar serviços e profissionais que eles indicam, eles afirmam que vc pode levar quem quiser, desde que vc ou o profissional pagem a taxa da igreja de 800 reais, eles afirmam que essa taxa é pra eles se adequarem à igreja com cursos e tals, sei lá, é bem cruel né??? Poxa eles mexem com o sonho das pessoas....